Festejos de Nossa Senhora da Conceição de Pedro II: primeira semana plena de fé

De 28 de novembro a 8 de dezembro, a cada ano, a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Pedro II – Piauí celebra o tradicional momento dos Festejos da Padroeira, isto é, a Festa da Imaculada Conceição, cujo tema este ano é: “Maria, Pioneira do Encontro com Jesus”. E é essencial adentrar na profundidade deste tema, após um ano eclesiástico inteiro de leituras bíblicas e cristãs em geral, de semanas e meses de compreensão da palavra divina celebrada em Pedro II pelos párocos Paulo Sérgio Duarte – da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição – e Sandro Lima – da Paróquia de São José Operário – que juntos miraculosamente congregam em uma só cidade a sagrada família, visto que Jesus está presente em cada igreja.  



 
Aqui em Pedro II – Piauí, o cenário é de somais importância e abrangência visto que a população como diz a expressão “leva a maior fé” nessa dimensão de culto, de veneração e de ascensão à santa dignidade que o período evoca. Afinal, são meses de preparação, até o término do ano, mês de dezembro, em que se confraternizam públicos de Pedro II, zona rural e urbana, de cidades circunvizinhas em caravanas, de outras cidades que enviam caravanas para conhecer mais de perto a fé e a confiança em Maria, advogada nossa perante Jesus e perante Deus, numa atitude repleta de amor e amizade (que o Padre Marcelo Rossi nos fala no termo Amor Ágape e Philia, respectivamente).

A cidade respeita e respira religiosidade nestes dias, com o acréscimo no comércio de artigos religiosos, na realização de leilões e comercialização de produtos relacionados a religião cristã católica, além de gerar um fluxo de pessoas em viagens, passeios e turismo religioso bem acentuado também. Recebemos em nossa cidade celebrantes de outras Paróquias que vêm colaborar e cooperar na messe apostólica de “Maria, Pioneira do Encontro com Jesus”, em pregações e sermões carregados de atualidade e contextualização, em que o povo consegue aprender e compreender a mensagem, transpondo-a e colocando-a presente no seu cotidiano.

Por tudo que os Festejos representam para a cidade e região, já se tornou um evento tradicional do calendário cívico religioso e até municipal, envolvendo a cooperação e o trabalho colaborativo de várias famílias, operários, comerciantes, profissionais em geral; que dedicam valiosos e honrosos instantes nas procissões, nas missas campais, carreatas, até o dia da Festa em 8 de dezembro – dia de Nossa Senhora da Conceição – em que se expandem e se materializa o clímax desse interessante calendário de orações, preces e rezas entre as pessoas, que demonstram que a união, a abnegação, o respeito, a caridade e a esperança são palavras passíveis de realidade e que a nossa “Mãezinha Maria” está presente nesse ato de fé.

 

NOTÍCIAS